Especial: Simbolo Rock'n' Roll!

By Outubro 07, 2018

Mãos chifradas, símbolo do rock, cifres do rock, moloik. É tanto nome e tanta variação que a gente fica até meio perdido. A não ser quando a música toma conta dos nossos corpos e a única forma de transcender é batendo a cabeça, fechando a mão e pondo os dedos para cima. Se é que você me entende.

 

Mas afinal, como surgiu esse símbolo tão singular? O Casal Cultural conta tudo pra vocês e já adianta, não tem nada de satânico, demoníaco ou coisa parecida.

O percursor da mão chifrada foi o ex-vocalista da banda Black Sabbath,Ronnie James Dio. Além da banda de heavy metal, Dio ainda foi integrante de bandas como Elf e Rainbow. Mas, seu destaque mesmo foi na banda britânica para substituir Ozzy Osborne. Boatos também dizem que Dio utilizou seu gesto pessoal para se diferenciar de Ozzy, já que ele sempre fazia o gesto de “Paz e Amor” com os dedos no palco.

Dio certa vez explicou que o gesto não passava de um ensinamento de sua avó. Segundo ele, ela era italiana e o utilizava para afastar e sedefender de energias ruins. Porém, bem antes do vocalista, o símbolo já existia. No disco dos The Beatles, Yelloow Submarine, por exemplo, John Lennon faz o gesto com a mão, na ilustração da capa.

Apesar de ser frequentemente associado a rituais satanistas, obscuridade e adoração ao diabo, nada mais é do que um certo preconceito ligado ao Heavy Metal, que utilizava dessas artimanhas para se destacar no mundo da música.

Apurando melhor, o gesto é simbolizado com uma maneira de afastar maldições e teve origem na Grécia antiga. Ou seja, a avó de Dio estava absolutamente correta. Mas, também significa eu te amo, na linguagem de sinais, mas só quando o polegar é incluído no gesto. 

James Dio morreu em 2010, mas, certamente popularizou algo por gerações dentro do rock e fora dele.

 
Fato é, que não existe uma só pessoa no mundo que não assimile a mão chifrada ao Rock’n’roll, e que não saiba fazer o gesto. Que nesse dia 13, aparecem muitas mãos chifradas ao seu redor.
 

Instagram Casal Cultural