Nosso Acervo - Against the wind - Bob Seger & The Silver Bullet Band - O disco que tirou a hegemonia de "The Wall"

By Março 20, 2019

Bob Seger foi tão feliz quando fez este disco que o Casal Cultural não poderia deixar de contar pra você sobre essa incrível obra, acompanhe agora o primeiro "Nosso Acervo" do ano

Quase todo mundo que tenha algum interesse por música, e até mesmo alguns que não demonstram fascínio pelo mundo musical, já ouviram falar em “The Wall”.

Pra introduzir

O icônico álbum do Pink Floyd rendeu inúmeras turnês, documentários, inspirações e até filme. Apesar de feito na década de 1980, até hoje é lembrado e vez ou outra servido de temática para shows solo de Roger Waters.

O disco ficou inúmeras semanas como o “número 1” nas paradas da Billboard. Nesse período de tempo houve um álbum que conseguiu bater o clássico álbum do Pink Floyd por algumas semanas.

O álbum de que vamos falar hoje é um dos xodós que fazem parte de nossa coleção. Vamos falar do grande “Against the Wind”, de autoria de Bob Seger.

Bob Seger alcançou o auge de sua carreira em vendas com disco do qual estamos falando, e musicalmente muitas pessoas o consideram como a obra prima do músico.

Vale a dica!

Então se você não sabe nada sobre Bob Seger, é uma ótima opção começar com este, garantimos que você não irá se arrepender. Além de tudo, alguns dos maiores sucessos do roqueiro foram trazidos pelo disco, como: “You’ll accomp’ny me”, “No man’s land” e a faixa título “Againt the Wind”.

O disco é o décimo primeiro de estúdio na discografia de Bob Seger, e o terceiro com a banda Silver Bullet Band. O disco foi gravado no ano de 1979 e lançado no início de 1980.

Em sua terceira semana, o disco já entrava para as paradas da Billbord, ficando em segundo lugar por cinco semanas, atrás, apenas de “The Wall”.

Após alcançar o álbum do Pink Floyd conseguiu se firmar por seis semanas no primeiro lugar. Com tamanho sucesso rendeu cinco certificações de discos de platina somente nos Estados Unidos. 

Como conta a capa

O disco possui algumas faixas com letras compridas, em certas horas é dançante e envolvente, porém, não abre mão de algumas baladas. As influências são de heartland rock, e alguma coisa de hard rock, que mais lembra algumas bandas de rock do sul dos Estados Unidos. E, claro, alguma influência do country rock, como pode se supor pela capa do disco, e o visual da banda em seu encarte.

Apesar dessas conotações o disco tem uma pegada única. A sonoridade do álbum não lembra nada senão Bob Seger e sua melhor forma.

Alguns instrumentos de sopro algumas vezes recheiam o disco do compositor americano. Seger assina todas as composições do disco. Se provando um ótimo letrista, já que as letras podem ser o ponto alto da obra.

Os músicos que são creditados como a Silver Bullet Band no disco são: David Teegarden, nas baterias e percurssão; Alto Reed no saxofone; Chris Cambell no baixo e Drew Abbott na guitarra. Apesar disso outros músicos participaram das gravações em estúdio.

As letras, como é comum no heartland rock, falam da terra natal, amores perdidos, desilusões, entre uma faixa e outra ainda é possível conciliar com a temática sexual, em alguns jogos de palavras.

A guitarra de Bob Seger, apesar de revezada em alguns solos com Drew Abbott ou outros convidados, soa de maneira excelente.

Mais do que isso, só podemos implorar (pooooor favor), para que ouçam o disco, apenas uma experiência empírica faria jus a magnitude do que é o “Against the Wind” de Bob Seger & The Silver Bullet Band.

Faixa a faixa: ( Todas compostas por Bob Seger)

-1 The Horizontal Bop

Canção que abre o disco de maneira animada, lembrando um contry rock, animada e dançante. Possui uma letra bastante divertida.

-2 You’ll Accomp’ny me

Essa faixa traz a primeira balada do disco e um dos maiores sucessos do cantor, com uma letra bem feita e comovente, Seger a partir dessa música, mostra a mescla de reflexão e “dança” que monta a obra inteira

-3 Her Strut

A menor letra do disco, e mais previsível, uma faixa comum que não deixa de ser igualmente boa.

-4 No Man’s Land

Mais uma das letras reflexivas presentes na gravação, e a mais política de toda a obra. O solo de guitarra dessa faixa fica por conta do próprio Seger.

-5 Long Twin Silver Line

Seguindo a lógica da transição, mais uma das faixas dançantes do disco.

-6 Against The Wind

A canção abre o lado b do disco. E não é por nada que a canção dá nome ao disco. O instrumental e o arranjo da canção são de tirar o folego, uma daquelas canções que quando escutamos da primeira vez temos logo que repeti la, em minha opinião uma das melhores composições da história do rock.

-7  Good For me

Uma música de devoção a mulher amada, em forma de uma balada um pouco mais “animada” que a de costume.

-8 Betty Lou’s Gettin Out Tonight

A música mais dançante do disco, traz uma temática cômica e agradável. É a canção em que os instrumentos metálicos são melhor utilizados no álbum. O sax possui uma função essencial.

9. Fire Lake

Uma daquelas canções que tem como ponto de partida a “terra natal”. Aquela canção em que o compositor expressa um sentimento único, uma balada muito boa.

10. Shinin’  Brightly

A canção cumpre seu dever ao fechar o disco da forma que começou, da maneira como deveria ser feito, à altura do disco.

Última modificação em Terça, 16 Julho 2019 19:45

Instagram Casal Cultural